Mal do século.


A opinião é algo mais que admirável, imagine você, como seria tentar explicar para um ser de outro mundo - vamos fingir que todos cremos na possibilidade de vida fora da Terra só para o texto ter coesão entre o ponto estabelecido até o ponto em que quero chegar - que cada ser humano pode pensar o que deseja e expor para os outros. Algo maravilhoso, né amigos?

Mas ai o trabalho seria redobrado porque também teríamos que explicar para os tais colegas de outro mundo, que mesmo você tendo total liberdade de dizer o que quer, vão ter pessoas contra querendo que você concorde com elas, e se você não concordar ganha um hematoma, olha que mundo lindo! Seria mais complicado ainda, ter que explicar que alguns desses hematomas não são visíveis, porque palavras também traumatizam. Nessa parte da conversa o ser de outro mundo já teria subido as escadas da espaçonave e te largado falando sozinha por ser a coisa mais sábia a se fazer no momento.

É triste (pra não dizer ridículo) ligar a TV e ver programas que ensinam os outros a se vestir, que prometem transformar pessoas que para eles estão feias em bonitas. Chegar em qualquer lugar, e ver gente encarando uma a outra, rindo, falando mal simplesmente porque a mesma não se encaixa nos padrões que eles querem. Ligar o computador e na esperança de se distrair na internet, ver mais comentários maldosos e ainda ser obrigada a ver fotos sem maquiagem nem filtro jurando que isso é a solução de tudo, porque nós somos dependentes da indústria da beleza e da moda então depois de passar um dia todo com os poros lotados de maquiagem eu vou ali limpar meu rosto e tirar uma foto de "cara limpa" para incentivar as meninas a serem como são. Se você não quer ser manipulada pela indústria da moda, não use a roupa do momento, da mesma forma que se você não quer ser manipulada pela indústria da beleza é só não passar maquiagem às seis da manhã  como se estivesse indo a um casório.

Todos os dias, pessoas e mais pessoas dizem para quem quiser ouvir ou ler, que são livres de preconceito, que lutam por um mundo justo, mas aí se passa uma garota sem maquiagem com uma roupa mais confortável ao invés de um salto que deixa as pernas tortas o que você faz? Sim, você comenta mentalmente, conta pra alguma amiga no WhatsApp, ou olha pra pessoa do seu lado e faz questão de sorrir como se você fosse superior sendo que o canto do seu olho está lotado de uma crosta de rímel.

O que eu mais vejo pela web, são textos falando que a sociedade não aceita quem está acima do peso, e quem disse que aceita quem é magro? Ser magro só é bonito na TV e nas passarelas, porque na vida real, você deve ter anorexia, vê se come mais viu? Vai ficar doente desse jeito! E as pessoas ainda fazem questão de te falar de cinco em cinco minutos "Ai, você é tão magrinha né?". Há um ano atrás uma criatura obviamente pouco dotada de papas na língua me perguntou se eu tinha anorexia simplesmente porque eu era mais magra que ela. E eu faço o que? Me lamento o dia todo? Tiro fotos mostrando meu corpo e o dedo do meio como se isso fosse mostrar que não me importo com a opinião alheia? Eu vou fazer o que se posso comer minha casa e continuo magra, minha gente?! Já me recomendaram até mesmo sexo. Sim, sexo. "Ah fia, depois que começa essa vida cria corpo." e pelo jeito perde um pedaço do cérebro. O problema real é essa eterna tempestade em copo d'água, como se pra ser bonita fosse obrigatório usar saias curtas, saltos maiores que sua própria cabeça e ter pernas tão grossas que alguém pode te confundir com um jogador profissional de futebol. Ao invés de parar a indústria da beleza, vamos parar com o mal do século: a ideia de que você é perfeito e os outros não.

E deixo dito.

Top 5: aplicativos de jogos | TAG.


Se tem um assunto que eu gostaria de abordar mais no blog com certeza é tecnologia. Já que a vontade é muita, decidi unir o útil ao agradável e aproveitar o Top 5 para nomear os cinco melhores aplicativos de jogos para smartphones, afinal não tem como negar, quando a paciência para responder alguém no WhatsApp é pouca, você já quis jogar algo para evita-la.


5º Don't Touch The Spikes. (Disponível para Android e IOS.)

Um parente próximo do extinto Flappy Bird, ótimo para quem quer se distrair por pouco tempo (só não recomendo jogar o mesmo dentro de locais lotados, conheço gente que faz caras e bocas). O objetivo do jogo é capturar docinhos com seu pássaro (que pode ser trocado com a acumulação de pontos) sem deixar que ele toque os spikes que se formam nas paredes, meio óbvio pelo nome não é?

4º Pet Rescue Saga. (Disponível para Android e IOS.)
Dos mesmos criadores de Candy Crush Saga (que já encheu o saco, desculpa) Pet Rescue Saga é um quebra-cabeça em uma versão extremamente fofa, onde o objetivo é combinar os blocos da mesma cor até levar os animais para a superfície.


3º Empire Z. (Disponível para Android e IOS.)

Existem simuladores de vida durante/após um apocalipse zumbi melhores, confesso. Mas como ainda não os encontrei, o Empire Z conseguiu ser o melhor entre todos os jogos de zumbi que já instalei e desinstalei duas horas depois. Basicamente, o objetivo é construir uma civilização e defende-la dos bichinhos bonitinhos que a cercam.

2º Robot Unicorn Attack 2. (Disponível para Android e IOS.)
Como explicar para alguém o quanto eu amei a ideia de comandar um unicórnio em um mundo mágico com fadas e arco-íris? Também possui uma versão paga, mas pelo que vi em diversos comentários a gratuita surpreendeu ao ser melhor. O objetivo é conseguir as estrelas suficientes para passar de nível, abrindo novos mundos e até mesmo batalhas. 

1º The Sims Free Play. (Disponível para Android e IOS.)
Para amantes de Sims como eu, o jogo é a oitava maravilha do mundo com fácil acesso. Tá, talvez não seja um acesso tão fácil assim, o jogo só funciona se houver alguma conexão com uma rede de internet (para baixa-lo realmente é necessário o Wifi, mas para joga-lo o 3G é suficiente, o meu funciona mesmo depois de reduzirem minha velocidade) ocupa um pouco - talvez muito - de espaço na memória, e se torna mais difícil por volta do Nível 14, quando as missões se tornam caras e o salário dos Sims parecem não ser suficientes, mas obviamente é apenas uma estratégia da EA para convencer o jogador a comprar Simoleons na loja virtual e obter lucro, nada que você não consiga reverter colocando seus pequenos humanos para trabalhar todos os dias. No simulador gratuito, há como construir sua cidade, formar famílias, ter bebês, trabalhar, comprar carros, cavalos e com o Halloween foi disponibilizado até mesmo o passatempo de voar em vassouras e fazer feitiços.

Não coloquei imagens dos jogos para não deixar o post pesado, hehe.
Lembrando que toda recomendação de aplicativos será bem vinda! Mudando completamente de assunto, a Cyntia do blog Do Lado de Dentro me indicou uma TAG bacanuda e eu só tenho agradecimentos a ela, e pra não deixa-la em um post isolado, por esse ser curto, decidi coloca-la aqui mesmo.



1. Por que resolveu criar um blog e quando começou?
Minha história chega a ser ridícula. Eu tinha dez anos, amava novelas mexicanas e séries da Disney, e como na época nenhuma das minhas amigas compartilhava do mesmo gosto que eu decidi criar um blog sobre isso. Os anos foram passando e tiver muitos outros blogs (muitos mesmo) até que depois de um tempo de abstinência, em Junho de 2013 resolvi dar vida ao Novembro Inconstante. O motivo da criação dele foi eu estar numa fase hard da vida, em que eu nem sequer tinha com quem conversar sobre meus problemas, sendo mais um local para os meus desabafos - na época extremamente melancólicos - mas hoje já percebo que as coisas melhoraram e evolui mais para um blog de opinião do que realmente de desabafos.

2. Quais os benefícios que o blog te traz?
É o único lugar que consigo falar tudo o que eu penso, já que na vida real eu travo ou me estresso quando tento mostrar minha opinião sobre algo. Além disso eu aprendi a ver muito mais além do que só o meu mundinho, questões que antes eu não dava a mínima hoje me deixam até indignada, e também conheci pessoas muito legais que eu queria puxar da internet e levar para a minha vida real, infelizmente não fiz nenhuma amizade ainda por aqui, mas tem muita gente que eu acompanho o blog, e até mesmo que acompanham o meu que eu gostaria muito de andar com eles no intervalo.

3. Qual o post mais acessado?
O texto "Só Observo.", com 190 visualizações em que eu mostro o porque de eu não conseguir socializar tanto como me cobram pelas ruas dessa vida. Além de eu ser tímida sou observadora e nesse texto consegui mostrar que na verdade o problema em volta disso é eu reparar nas pessoas até encontrar aquilo que me desanima.

4. Você usa as redes sociais?
Até deeeeeeeeeemais, ultimamente consegui controlar mais isso. Mas pra quem quiser me achar elas estão aqui do ladinho, no meu perfil.

5. Como o blog tem evoluído?
Na minha visão apesar de simples o design atual dele é o melhor de todos, e como já comentei acima antes eu o usava muito para descontar meus dramas, agora eu já consigo abordar assuntos atuais e acho que estou conseguindo aprender a fazer posts mais interessantes.


6. Já viveu algum fato importante por causa do blog?

Acho isso bem relativo. Considero importante ler um comentário e ver que a pessoa me entendeu e conseguir entender o lado dela também.


7. De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?

Literalmente de tudo. Eu tenho uma mente esquisita demais, o tempo inteiro tenho algo nela e preciso colocar pra fora, só não posto com frequência porque minha rotina não deixa, mas se dependesse de inspiração nem vocês teriam paciência pra ler todos os posts.

8. O que você tem aprendido a nível profissional e pessoal esse ano?
Profissional nada HAHA, 17 anos ainda é cedo pra isso, mesmo eu tendo um emprego fixo. A nível pessoal, acho que aprendi a me expressar mais e a ser oportunista dentro dos limites, percebi que em alguns momentos você precisa conviver com pessoas para seu próprio benefício, o que tem sido bom em algumas coisas.

9. Qual é a sua frase favorita?
Se eu tivesse que responder isso há dois meses atrás seria uma do Fernando Pessoa, mas atualmente eu realmente não tenho nenhuma.

10. Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo dos blogs?
Faça o que você gosta. Mesmo que seja só fotografia, só filmes ou textos para desabafar, não há porque querer fazer o mesmo que aquele blog famoso, o principal objetivo de um blog é te fazer bem.


11. O que os blogs que você vai indicar tem em comum?

Todos eles são da maneira que citei acima, os autores escrevem o que gostam e não o que as pessoas querem ver. Afinal se você gosta, alguém que também gosta vai te encontrar.


Coloquei só esses blogs, mas quem quiser fazer sinta-se a vontade que o mundo é livre.